sábado, 12 de dezembro de 2009

Música - O REI DE CALCINHA PRETA?...


**********
Transcerevo aqui na íntegra o comentário feito pelo meu fraternal amigo Marcos Niemeyer no seu excelente Blog - CACAREJADAS e EJACULADAS - www.cacarejadavirtual.blogspot.com sobre uma possível participação da Banda Calcinha Preta no Especial de fim de Ano do Rei Roberto Carlos.
Assino embaixo em tudo o que ele diz. Acompanhem...


Especial do Rei Roberto tem conotações apelativas

É com absoluta indignação que voltamos a falar neste espaço sobre o caos em que se encontra a música brasileira. E, pasmem! O exemplo mais recente vem de ninguém menos que o Rei Roberto Carlos.

Figura respeitável, carismática e de eternas românticas canções, sua majestade - que acaba de adiar a gravação do especial de Natal no Ginásio do Ibirapuera, em São Paulo, por conta de problemas de saúde - teria como participante no evento, entre outros convidados de qualidade questionável, uma tal banda que late no escutador de novela do povão iletrado por nome de "calcinha preta" (é para ser escrito com letra minúscula mesmo, em função do grau de inexpressividade que essa coisa representa no verdadeiro cenário musical).

Não se sabe de onde partiu tão infeliz idéia de colocar lado a lado opostos do que seria algo teoricamente agradável na tela da TV, já descaradamente massacrada com sua programação tosca e indigesta. Desconfia-se, porém, que seja mesmo algo arquitetado pela mafiosa Rede Globo - responsável pela produção e apresentação do mega evento.

Rei Roberto deveria ter - diante de seu poder absoluto - argumentos convincentes para evitar a participação desses convidados perniciosos em seus espetáculos. Afinal, como ele sempre exige que tudo seja da "cor azul", por quê abrir mão diante de algo reconhecidamente descartável?

Exemplos idênticos não devem ser seguidos por alguns poucos artistas que ainda fazem o diferencial na MPB. A música brasileira está na "UTI" e algo precisa ser feito com urgência para que as futuras gerações possam perpetuar nosso cancioneiro como algo histórico e de grandes proporções.
Chega de tanta gritaria e armações ilimitadas travestidas de canções para enganar o povo. Nossos tímpanos não são penicos e nossa paciência tem limite diante do bombardeio anti-cultural imposto pela mídia.

Marcos Niemeyer, cinquentão, é radialista dos bons, grande conhecedor de música, mineiro de nascimento e "matuto" por opção.

1 comentários:

manosantto disse...

Que discuta a qualidade da banda, mas Robertoa não é nenhuma coca-cola, tá mais para tubaína das brabas.
Só tenho uma dúvida, será que o autor espera que tenhamos de naovo censura, para que barrem de gravar os artistas que ele não gosta?
Será que ele se candidata a ser o censurador?
O que é bom e ruim é ele quem define?
Que tal ele comprar um mp3 ou assinar uma tv e parar de encher o saco dos outros, ou então começa a compor e monta uma banda só pra ele ouvir música clássica.
Me tirem o tubo, lutaram tanto por liberdade e agora que tem eles querem colocar censura de novo, fala sério!!!