quinta-feira, 9 de outubro de 2008






CHICLETE COM MALDADE




O PÚBLICO DA BAHIA JÁ CONHECE O ASSUNTO, MAS O BRASIL E O MUNDO PRECISAM SER INFORMADOS SOBRE ESTE LAMENTÁVEL EPISÓDIO.

LEIAM COM ATENÇÃO OS TEXTOS ABAIXO:



"Chamo-me João Fernandes da Silva Filho, sou guitarrista e compositor e mais conhecido como Cacik Jonne. Fui, durante quase 21 anos (1980 a 2001), guitarrista da banda Chiclete com Banana e construtor de significativa parcela da história da música baiana. Portador de doença- Ataxia Cerebelar- venho sofrendo limitações progressivas de movimentos no decorrer dos últimos 8 a 10 anos, um problema de equilíbrio no cerebelo. Não pude mais exercer minha profissão. As condições para movimentar-me e trabalhar foram ficando cada dia mais difíceis. Em conversa que mantive com os dirigentes da banda, ficou acertado, verbalmente, que sairia da banda, mas ela assumiria o pagamento de meus honorários como se estivesse tocando e depois faríamos um acordo. Como se tratava de um acordo justo aceitei-o. Porém, o compromisso verbal não foi cumprido integralmente, porque os honorários prometidos foram sendo reduzidos gradativamente. De forma integral o acordo foi cumprido apenas no período de junho a dezembro de 2001 a janeiro/2002. A partir do carnaval de 2002 os honorários começaram a sofrer cortes inexplicáveis. Vale ressaltar que nesse período tentei inúmeros contatos com a Banda, mas todos foram em vão. Movido pela necessidade e pelo propósito de ter meus direitos restabelecidos e respeitados, busquei a Justiça. Em dezembro de 2002 foram instaurados até 2005. Ressalto que a minha saúde, com o passar do tempo, foi ficando cada vez mais comprometida. O quadro agravou-se e as seqüelas da doença atingiram minha visão, comprometeram minhas articulações e afetaram meu andar. passei a necessitar de tratamentos mais especializados e onerosos. Mas, como poderia fazê-los se não dispunha de recursos financeiros para esse fim?. Meus antigos parceiros permaneceram indiferentes e irredutíveis a esta situação, estranhamente, o processo foi julgado à revelia, e o mais grave é que eu, vítima, autor da ação e principal interessado na agilidade do julgamento e do resultado, não soube dessa audiência. Meu advogado recorreu da sentença ao Tribunal Superior do Trabalho, TST, onde o processo foi arquivado. Atualmente estou sobrevivendo graças à pensão do INSS e da ajuda de amigos. Tudo o que almejo é ter o valor de meu trabalho artístico de mais de 20 (vinte) anos, interrompidos por motivos alheios à minha vontade, reconhecido financeiramente, a fim de que possa custear, sem favores, meu oneroso tratamento médico-hospitalar. É justo que alguém que colaborou de forma íntegra a uma banda e a uma história musical baiana sofra este processo de constrangimento? 'pois pra os ricos nada pega' não deixarei de falar até que a morte me leve já que sei que a justiça dos homens pode estar perdida, mas a de Deus não questiono, pois acredito, cedo ou tarde, Ela vencerá".Cacik Jonne.-------------------------------------------------------------------Jonne é meu cliente, há alguns anos, e morou, por muito tempo, no condomínio que eu administrava.Sou testemunha de sua degeneração e dificuldade, tendo acompanhado o agravamento de sua doença, até quando mudou-se para a casa de seu pai. Atualmente já não dirige, fala com dificuldade e se locomove sempre com amparo. De acordo com seu pai, com quem temos contato mensalmente, vem caindo muitas vezes e seu estado, por causa desta doença, que é degenerativa, vem se agravando. Atualmente é bem mais visível a sua piora. Desde o início de seu processo, ele e seu pai tentam divulgar a sua história, mas o Chiclete é muito poderoso e rico. Há anos, por causa de Jonne, não vejo, assisto, compro ou pratico qualquer outro ato que possa dar mais dinheiro ou prestígio ao conjunto que, ao meu ver, trata deste assunto de forma tão mesquinha. É realmente uma pena a desconsideração com que é tratado pela banda Chiclete com Banana e, com certeza, tem precisado da ajuda de pessoas amigas. Seu tratamento é caro e acho que não chegará a tempo de socorrê-lo. Ele não tem como custear o que necessita.


Tereza Lins

2 comentários:

manosantto disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
manosantto disse...

Adoraria saber o outro lado da história, ou seja, o que o grupo em questão tem a dizer sobre o assunto.
Sem isto fica dificil ter uma opinião, pois no momento só posso lamentar o acontecimento bisonho.
Triste Bahia...